Descubra quem é o cachorro Cheirudo

Neste vídeo, a autora Solange Sólon Borges, de A historinha do cachorro Cheirudo, da nossa editora, conta como surgiu este livro infantil e… se o Cheirudo era bagunceiro e doidão mesmo. Confira.

Lançamento: A luz de Jesus

Lançamento: A luz de Jesus

A luz de Jesus, de Valter Máz Borges, vol. 5 da coleção Mensagens de fé. O título reúne poesias ecumênicas, voltadas à paz, ao conhecimento, à elevação espiritual e até ao humor: “Em toda a minha vida, nunca vi nenhum ateu. Quando sai de um perigo, reza e dá graças a Deus!”. Ou: Espada como palavra, eu a uso nos dias meus. Uma só é verdadeira, espada, palavra de Deus”.

“Tem costume de marcar os acontecimentos do dia. Nunca esqueça de marcar aquilo que lhe deu alegria”. “Com as mãos posso ajudar nas artes, obras e lazer. Quantos trabalhos não sei, mas faço com o mesmo prazer”; “Faça tudo, faça hoje, pois o ontem já findou. O amanhã só veremos, pois o amanhã não chegou”. Sobre o livro – Assunto: Poesia religiosa Religião. Brochura, 14×21 cm, 120 págs. 1ª ed. 2021. ISBN 978-85-86882-83-8. R$ 25,00.  

PARA COMPRAR, CLIQUE AQUI

A historinha do Cachorro Cheirudo

A historinha do Cachorro Cheirudo

Trata-se da história de Cheirudo, um cãozinho trapalhão, que mete o nariz em tudo. Sua dona, a menina Gabriela, mantém uma doce comunicação com esse ‘bichano rabudo’ e tenta ensinar modos ao pequeno amigo bagunceiro. Um livrinho para a criança pintar e interagir com a história. E tem ADESIVOS!

Formato 14×21 cm, 40 p., 2021, R$ 15,00. ISBN 978-85-86882-80-7. QUER RECEBER PELO CORREIO? Mandamos com registro módico.

Para comprar: é só ir para o carrinho neste link:

A historinha do cachorro Cheirudo

 

Lançamento em junho de 2021. Faça sua reserva!

As canequinhas de ágata também à espera do ritual do café. Esse era mais fraco, menos encorpado. Porém, o mesmo ponto de ebulição. Então, eu me aproximava do fogão a lenha para sentir o cheiro da brasa atiçada, queimando até o limite, para que o nariz sentisse o que era o calor insuportável, traçando marcas de fogo em minha memória para que nunca mais se apagassem. A madeira enegrecida. Mas eu sabia que de algum modo que o olor da lenha ardendo era o da Humanidade desde os primeiros encontros à volta das fogueiras no tempo das cavernas. Então, vinha a sede de café e da água descansada em potes de barro: a mistura entre saciedade e frescor de minha história junto à terra.

Todos os homens são girassóis. Solange Sólon Borges. Formato 14×21 cm, 200 p. 2ª edição, 2021, R$ 30,00. ISBN 978-85-86882-78-4. Faça sua pré-reserva pelo whastapp (11) 9 7439-6657 ou por e-mail: editora@editoraoartifice.com.br ou editoraoartifice@gmail.com